Tratamentos

Avaliação de endometriose

 A cirurgia de endometriose por videolaparoscopia traz muitos benefícios à mulher, principalmente, uma melhor qualidade de vida, geralmente perdida com a evolução da doença. Lembremos de sempre individualizar cada caso. Não há receita. Mas, sem dúvida, quando há indicação cirúrgica, as variáveis mais importantes para se avaliar são: falha do tratamento medicamentoso; idade da paciente e desejo reprodutivo; comprometimento importante de órgãos adjacentes – intestino, bexiga e ureter; ​cisto de endometriose nos ovários de grande tamanho. Vale ressaltar que não é todo caso de endometriose que tem a cirurgia como tratamento, por isso, a avaliação de um médico especializado nesta doença é muito importante.

Há diferenças entre laparoscopia cirúrgica e diagnóstica?

​ Nos dias de hoje não há mais espaço para a laparoscopia diagnóstica quando falamos de endometriose! Os exames complementares de imagem – ressonância magnética e ultrassom transvaginal – se realizados por um laboratório e profissional especializado (diga-se de passagem que há poucos em São Paulo), trazem informações importantíssimas para o diagnóstico quando associado às queixas da paciente​. Desta forma, falamos apenas em Laparoscopia cirúrgica!

Qualquer cirurgião está apto a realizar a cirurgia de endometriose por vídeo?

​ A cirurgia de endometriose é considerada entre os próprios profissionais da área como uma das mais complexas, mais difícil até que tratar um câncer, uma vez que não respeita a anatomia dos órgãos femininos, invadindo estruturas delicadas como ureter, nervos, intestino, bexiga. A cirurgia laparoscópica, por sua maximização das imagens e delicadeza dos movimentos é considerada a técnica cirúrgica de escolha. É como aquele chef de cozinha, ou ainda um artista plástico, necessita de muito treinamento, aperfeiçoamento e dedicação ao paciente! Não basta saber operar, é preciso saber como e quando! ​

Quais os benefícios para a paciente?

O benefício deve sempre objetivar a qualidade de vida! O que significa isto? Melhora do padrão de vida em seu cotidiano, sem dores abdominais. Melhora da vida sexual, sem dor à relação sexual. Melhora das condições para engravidar, poder ter filhos. Melhora dos sintomas intestinais, sem sangramento ou dor para evacuar.

Como é a recuperação?

A recuperação cirúrgica vai depender e muito do grau de acometimento da endometriose. Se há invasão de órgãos como intestino, necessitando uma ressecção intestinal, ou ainda, acometimento de nervos pélvicos profundos, podendo ocasionar paralisia de determinados órgãos inervados por ele, pode ser mais demorado. Em geral, o retorno às atividades normais, não somente pelo pós-operatório, como também pela melhora dos sintomas, faz as pacientes terem um padrão de vida de melhor qualidade em menos de 1 semana.​

A endometriose após a cirurgia pode voltar?

A recidiva está muito relacionada ao tipo de endometriose, grau de acometimento, resposta ao tratamento medicamentoso pós-operatório, mas ​acredita-se hoje, no meio médico especializado, que um dos fatores mais relevantes na recidiva seja o parcial tratamento cirúrgico realizado. Ou seja, a não identificação e realização da retirada adequada das lesões de endometriose, procedimento este, somente possível se realizado por profissional com grande experiência e habilidade cirúrgica focada para endometriose.

Há como prevenir o retorno da endometriose?

 A prevenção do retorno baseia-se principalmente no adequado seguimento pós-cirúrgico. Tratamento medicamentoso, reavaliação ​constante do quadro clínico da paciente, sendo o exame físico de importância fundamental guiando a solicitação ou não de exames de imagem mais especializados.

Média de 7 a 10 anos de demora no diagnóstico de endometriose, no mundo. Pasmem: até em países de primeiro mundo!