Tratamentos

Cirurgia para Câncer de Mama

A cirurgia é um tratamento comum para o câncer de mama e seu objetivo principal é retirar o máximo possível do tumor com uma margem de segurança.

A maioria das mulheres com câncer de mama fará algum tipo de cirurgia como parte de seu tratamento, que dependendo da situação terá diferentes razões. Por exemplo, a cirurgia pode ser realizada para:

  • Remover o máximo possível do tumor.
  • Diagnosticar se a doença se disseminou para os linfonodos.
  • Reconstruir a forma da mama após a cirurgia de remoção do câncer.
  • Aliviar os sintomas do câncer de mama avançado.

Mastectomia e Quadrantectomia

Existem dois tipos principais tipos de cirurgia para o câncer de mama:

  • Cirurgia Conservadora da Mama. Também chamada de tumorectomia, quadrantectomia, mastectomia parcial ou mastectomia segmentar, consiste na retirada do segmento ou setor da mama que contém o tumor. O objetivo é retirar o tumor, com algum tecido normal adjacente. O quanto da mama é removida depende do tamanho e localização do tumor e de outros fatores.
  • Mastectomia. Neste procedimento toda a mama é retirada, incluindo todo o tecido mamário e às vezes outros tecidos próximos. Existem vários tipos diferentes de mastectomias. Algumas mulheres também podem fazer uma mastectomia dupla, que consiste na remoção das duas mamas.

Definindo o Tipo de Cirurgia

Muitas mulheres com câncer de mama estágio inicial podem escolher entre cirurgia conservadora da mama e mastectomia. A principal vantagem da cirurgia conservadora é que uma mulher mantém a maior parte da mama. Mas, na maioria dos casos, ela também precisará fazer radioterapia. As mulheres que fazem mastectomia para câncer em estágio inicial nem sempre têm indicação de radioterapia.

Para algumas mulheres, a mastectomia pode ser uma opção melhor, devido ao tipo de câncer, tamanho do tumor, histórico de tratamento prévio ou alguns outros fatores.

Cirurgia dos Linfonodos

Para saber se o câncer de mama se disseminou para os linfonodos axilares, um ou mais gânglios são removidos e examinados no microscópio. Esta é uma parte importante do estadiamento da doença. Os linfonodos podem ser removidos durante a cirurgia para retirar o tumor da mama ou num procedimento separado.

Os dois principais tipos de cirurgia para remover os linfonodos são:

  • Biópsia do Linfonodo Sentinela. A disseminação da doença para os linfonodos segue um trajeto onde necessariamente há um primeiro gânglio pelo qual as células malignas devem passar. Neste procedimento, o cirurgião remove apenas o linfonodo que contém o câncer. A remoção de apenas um ou alguns linfonodos reduz o risco de efeitos colaterais da cirurgia.
  • Dissecção Axilar dos Linfonodos. Neste procedimento, o cirurgião retira cerca de 10 a 40 linfonodos axilares. Atualmente, a dissecção não é realizada com tanta frequência, mas ainda pode ser a melhor forma de se observar os linfonodos em algumas situações.

Reconstrução Mamária

Quando se faz uma cirurgia, seja mastectomia, seja quadrantectomia, pode ser necessária uma cirurgia de reconstrução, para que a mama mantenha o aspecto estético mais próximo possível do desejado pela paciente.

Existem vários tipos de reconstrução mamária, embora as opções de cada paciente dependam de sua situação clínica e de suas preferências pessoais. Cada paciente pode escolher entre fazer a reconstrução mamária no momento da mastectomia (reconstrução imediata) ou num momento posterior (reconstrução tardia).

Se você está pensando em fazer a cirurgia de reconstrução, deve discutir com seu mastologista ou cirurgião plástico antes da mastectomia. Isso possibilitará à sua equipe médica planejar as melhores opções de tratamento para o seu caso, mesmo que você decida fazer a reconstrução mais tarde.

Cirurgia para Câncer de Mama Avançado

Embora a cirurgia seja improvável de curar o câncer de mama disseminado, ainda pode ser útil em algumas situações. Por exemplo, a cirurgia pode ser realizada:

  • Quando o tumor está provocando feridas abertas na mama.
  • Para tratar pequenas áreas de disseminação da doença, como metástases cerebrais.
  • Quando uma área de disseminação está pressionando a medula espinhal.
  • Quando o tumor está comprimindo o fígado.
  • Para aliviar a dor ou outros sintomas

Fonte: American Cancer Society (18/08/2016)