Tratamentos

Consulta Ginecológica

Toda mulher que teve ou tem vida sexual deve consultar o ginecologista uma vez por ano para se submeter a uma avaliação clínica que inclui o exame de toque, o exame pélvico e a coleta do material para o Papanicolau.

O exame interno ou pélvico, aquele feito com ajuda do espéculo, permite ao médico coletar material e observar o colo do útero, como se chama a entrada do órgão, atrás de sinais de corrimentos indesejáveis, de doenças.e suspeita de câncer.

O câncer cervical, também chamado de câncer de colo do útero ainda afeta muitas brasileiras. No exame de toque com apalpação abdominal o ginecologista consegue perceber se existe alguma irregularidade nos ovários, trompas de falópio e no útero
Os casos em que o exame pélvico deve ser repetido em menos de um ano:

  • Sangramento fora das menstruações ou fluxo menstrual muito intenso
  • Sangramento após a menopausa
  • Irritação ou coceira nos genitais ou corrimentos suspeitos
  • Dor e sangramento durante a relação sexual
  • Presença de sinais estranhos como manchas, verrugas ou vermelhidão na vulva (a região da entrada da vagina).

Muitas mulheres desconhecem a importância da prevenção ginecológica. Às vezes, por falta de informação ou até mesmo pela falta de tempo devido à correria do dia a dia. Com a vida agitada que engloba família, trabalho, filhos e lazer, principalmente as mulheres, acabam se esquecendo de cuidados básicos com a saúde e bem-estar.

A prevenção nada mais é do que fazer um acompanhamento precoce, ter uma alimentação saudável, uma rotina de atividade física regular e ir ao médico anualmente. “São medidas adotadas para evitar o surgimento de doenças ginecológicas benignas e malignas”.

Os principais exames que as mulheres devem fazer:

  • Papanicolau
  • Ultrassonografia pélvica transvaginal
  • E para as pacientes com idade a partir de 40 anos a mamografia bilateral.

Doenças que mais atingem as mulheres:

– Ginecológicas benignas: corrimentos genitais, doenças sexualmente transmissíveis, distúrbios da menstruação, infecções do trato urinário, incontinência urinária, mastalgia e doenças fibrocísticas da mama.

– Ginecológicas malignas: principalmente câncer de mama e colo uterino.