Tratamentos

Dermatoscopia

A dermatoscopia é o exame para o diagnóstico e prevenção do câncer de pele. Ele foi desenvolvido para que fosse possível, identificar lesões de risco. Entretanto, a dermatoscopia também pode ser usada para diagnosticar outras afecções de pele e cabelos, como diferenciar nevos de queratose seborreica, lentigos, e até mesmo problemas relacionados à queda de cabelos.

Quase ninguém vê dermatologista de estetoscópio no pescoço, não é mesmo? Mas você pode ter reparado que muitos usam, ao exame, um aparelho com uma luz forte na mão. O que é isso? Esse equipamento é o Dermatoscópio. Basicamente, o “esteto” dos dermatologistas.

O Dermatoscópio é capaz de aumentar as lesões da pele e mostrar características que não são visíveis ao olho nu. O exame feito com ele é chamado de Dermatoscopia. Um profissional treinado para fazer o exame dermatoscópico é capaz de detectar mais precocemente cânceres de pele, como o melonoma (Tenho muitas pintas. A que devo ficar atento?) , além de diferenciar lesões da pele benignas, do bem, daquelas cancerosas, do mal (Câncer de pele mata?).

 

Algumas pessoas são mais propensas a terem esse exame pedido pelo dermatologista:

  • Pacientes com muitos nevos (pintas ou manchas) de pele
  • Pacientes com a pele muito branca, olhos claros e ruivos
  • Pessoas que tiveram grandes exposições ao sol ao longo da vida
  • Histórico familiar ou pessoal de câncer de pele
  • Pessoas com lesões de pele suspeitas
  • Nevos congênitos (de nascença, principalmente os grandes)
  • Alterações de pele mais raras como a síndrome do nevo displásico e o xeroderma pigmentoso.

 

Portanto, como regra geral, qualquer novo sinal na pele ou uma mudança em uma pinta ou mancha deve ser sinal de alerta para procurar um dermatologista. É importante procurar um profissional sempre que notar uma nova lesão ou quando uma lesão antiga tiver algum tipo de modificação.

Contraindicações:

Dermatoscopia manual usa uma espécie de lupa
Não há nenhuma contraindicação absoluta, pois o paciente não é exposto a agentes químicos ou físicos que possam causar danos a sua saúde. O exame pode ser feito desde crianças até idosos – basta o dermatologista achar que seja necessário avaliar uma lesão importante mais a fundo e acompanha-la.

Preparação para o exame:
Não há nenhuma preparação especial para o exame, mas pessoas com muitos pelos nas áreas com nevos podem ser solicitados a aparar a região, para facilitar a visualização e documentação das pintas. Como ele não envolve nenhum tipo de agente químico ou físico ou mesmo radiografia, você pode ir ao laboratório ou consultório com a roupa que quiser e bem alimentado.

 

Grávida Pode fazer?
Gestantes podem fazer o exame de dermatoscopia digital normalmente.

Possíveis complicações:
Não há nenhuma complicação possível nesse exame.

Possíveis Efeitos colaterais:
Também não há qualquer tipo de efeito colateral na dermatoscopia.

O que significa o resultado do exame?
Dependendo do método de análise utilizado pelo dermatologista, pode haver um valor de referência numérico ou uma análise qualitativa – e nesse caso, não há notas para as pintas. As classificações são:
Baixo risco: pintas com características benignas.
Risco moderado: quando uma lesão apresenta alguma alteração, (mesmo que discreta) que não permite afastar completamente risco de transformação naquele momento.
Alto risco: lesão com probabilidade de virar câncer ou então um tumor já instalado. Sugere-se a retirada da lesão e o exame anatomopatológico para o diagnóstico.

Para outras lesões, que ainda é possível afastar totalmente a suspeita de câncer, pode ser sugerido o acompanhamento de curto prazo para avaliar se a lesão muda significativamente – se isso ocorrer, também é sugerida a retirada. A maioria das lesões provavelmente será considerada de baixo risco.

O que significam resultados anormais:
É importante ficar atento aos sinais do seu corpo
Uma lesão suspeita é a pinta que apresenta bordas irregulares, coloração não uniforme, assimetria e/ou crescimento progressivo. Pode ser suspeita também uma pinta que já existia e começa apresentar modificações em suas características perceptíveis de um exame para outro.

Há mais alguma coisa que eu devo saber?
É muito importante que você conheça o seu próprio corpo e a sua pele, para identificar mudanças em suas pintas ou então novas lesões. Esse autoconhecimento possibilita um encaminhamento mais rápido para o dermatologista, e facilita a prevenção ou o diagnóstico precoce do câncer de pele.