Tratamentos

Pré-natal de baixo risco

O pré-natal refere-se ao conjunto de consultas ou visitas programadas da mulher gestante com o médico, objetivando o acompanhamento da gestação e a obtenção de uma adequada preparação para o parto e puerpério. Acompanhar, orientar, educar, rastrear possíveis situações de risco e tratar intercorrências que possam interferir no bem-estar do bebê, da gestante e de sua família correspondem a ações prioritárias de um adequado acompanhamento pré-natal.

Para a primeira consulta de pré-natal, preconiza-se um exame físico completo e um exame gineco-obstétrico. Nas consultas subsequentes, a avaliação deve ser mais dirigida aos aspectos específicos da gestação.

Alguns aspectos do exame físico no pré-natal serão mais detalhados neste capítulo, pela sua peculiaridade e importância no período gestacional, segue alguns dos pontos a serem observados:

  • Medida da pressão arterial
  • Avaliação do estado nutricional
  • Palpação obstétrica e medida da altura uterina
  • Exame especular e toque vaginal
  • Exame rotineiro de mamas
  • Ausculta dos batimentos cardíacos fetais e observação da movimentação fetal

Exames complementares
Os exames complementares no pré-natal buscam identificar situações e patologias que possam interferir diretamente na saúde da gestante e de seu filho, tais como: incompatibilidade Rh, infecções, hemoglobinopatias, diabetes, malformações.

  • Hemograma
  • Tipagem sanguínea e fator Rh
  • Pesquisa de hemoglobinopatias
  • Exame qualitativo de urina (EQU) e urocultura
  • Pesquisa de suscetibilidade a rubéola
  • Pesquisa de toxoplasmose
  • Pesquisa de hepatite B
  • Cultura do estreptococo do grupo beta-hemolítico (GBS)
  • Pesquisa de sífilis
  • Pesquisa de anti-HIV
  • Pesquisa de diabetes melito
  • Ultrassonografia obstétrica e morfológica
  • Pesquisa de aneuploidias fetais

 

Conduta proposta

Recomenda-se esclarecer todas as dúvidas que a gestante e sua família possam ter nesse período. Algumas orientações importantes que devem ser discutidas com as gestantes são as seguintes:

  • Orientar sobre a importância do pré-natal, combinar o número de consultas e estimular a participação do pai do bebê.
  • Orientar sobre mudanças físicas e psicológicas que ocorrem na gestação.
  • Conversar sobre a sexualidade.
  • Orientar sobre uma adequada alimentação e hábitos de vida saudáveis.
  • Orientar sobre suplementação de ferro e ácido fólico. O ácido fólico deve ser prescrito ainda no período pré-concepcional (60 a 90 dias antes da concepção) e mantido até o final do primeiro trimestre.
  • Alertar para o não consumo de bebidas alcoólicas (em qualquer dose), tabaco e outras drogas.
  • Evitar o uso de medicamentos sem orientação médica.
  • Alertar para o uso de cinto de segurança e sobre cuidados com atividades físicas que possam causar algum tipo de trauma abdominal.
  • Conversar sobre a amamentação, sobre as dificuldades que podem surgir e como manejá-las, sobre os primeiros cuidados com o recém-nascido e sobre a consulta de puerpério.
  • Orientar sobre os possíveis sinais e sintomas de pré-eclâmpsia e a necessidade de procurar imediatamente um centro obstétrico.
  • Orientar sobre os sintomas de trabalho de parto.
  • Conversar sobre o tipo de parto e sobre a possibilidade de ter um acompanhante de sua escolha durante a internação e o parto.
  • Estimular uma visita prévia à maternidade, se possível.